Radio Integracao FM

Radio Integracao FM, Radio Integracao FM ao Vivo Online

Eu lá sou mulher pra esconder dinheiro debaixo de colchão? Purple haze! Que nome mais comédia de bombom, hein? Ô Magrão. Meu irmão, essa folhinha aqui eu conheço. Eu também. Esse é do bom. Ai meu irmão. Esse bombom aqui tá malhado. Na língua do gringos: Malheido. Malheido. O que é? O que foi? Me ajude a subir aqui. Espera, cuidado, vai. Nonô, Nonô, vem cá, Nonô. O carteiro. Socorro. Psiu! Tá louca, não grita. Duas senhoras. Idosas, indefesas. Vamos carregar isso aqui. Quem sabe ele pode ter dado a volta, e entrado pela porta do fundo, você não acha? Enquanto a gente brigava, mamãe Radio Uma tragédia dessas faz a gente repensar as coisas, sabe? Senhor, senhor, senhor, senhor. Ai, meu Deus. Essa altura o Cesar já deve estar no quinto calmante. Uma notícia dessas, ele não vai agüentar. Gostoso, você. Só eu é que sei. Vai, me aperta, vai, me aperta. Faz umas coisas em mim, Cesar. Não, mas antes me diz uma coisa? Se o Pupi for mal na CPI você me assume? Depois do depoimento a gente conversa. Vem cá, delícia. Vem? Vem? Santo Cristo. Meu Deus, mas não é possível isto que estou vendo. Ah, mas que pouca vergonha. O quê que foi? Esse fato merece uma testemunha, Nonô. O que? Eu não estou delirando, não é Nonô? Não! O que eu vi é porque eu vi mesmo, não é? É, você viu. Viu, e eu também, vi. É uma pouca vergonha. Mas já está mais do que certo que a pistoleira da família é a saracura da Paola. E o corno é o Marcos Vinícius. Ah, coitado. Crente que abafa. Cheio de pose, cheio de chifre. E chifre de parentes. Escute aqui, Nonô. Manda a etiqueta que quando uma amiga está sofrendo com eu estou eu sofrendo, a outra não deve jogar lenha na fogueira. Mas se você quer revolver os podres da minha família, eu também me sinto no mesmo direito. Mesmo porque, o seu filho, não é melhor que o meu. Mas que audácia. Você mal conheceu o Cassiano. Como é que pode falar dele? Ah, mas não sou eu que tô falando. É o mundo inteiro que fala. E você sabe muito bem disto. O que? O menino sempre foi muito frágil, cheio de Radio Amaneirado, cheio de frescurinhas, efeminado, uma florzinha. E você sabe muito bem, porque você obrigou o menino a casar e aí deu Radio no que deu. O que é que ele deu? O que é que ele deu? Não me faça rir. E se meu filho é corno, o seu filho é viado. Repete? Repete que meu filho é viado? É viado, viadinho, viadão. Boiola, boiolinha, boiolão. E você sabe muito bem. O que eu sei é que você é uma velha mentirosa. Uma velha gagá. Inventadeira de moda. Imagina! É, é. E agora saia da minha casa. Eu que sou gagá? Imagina. Como é que eu posso sair dessa casa se nós duas estamos presas aqui dentro desse banheiro? Presas a uma insuportável convivência. Você vê o que é mulher, né? Quanto mais velha, mais briga. A culpa é sua, sabia? Quem começou esse barraco foi você. Eu? Foi sim, baixo astral. Mal educada. Mal educada é você, que está dentro da minha casa e tá dizendo Radio Você é estúpido, mas me livrou de uma boa. Porque só o cheiro dessa mulher, eu tô enjoada. Vou processar você. Vamos ficar tranquilonas, porque nós viemos na paz. Viado. Eu? Corno. O que? O que? Ah, não, mãe. Não pode ser. Ah, pode ser sim, minha filha. Pode ser. A vida é assim. Ela foi pra um lugar melhor. Descansou. Nós, que permanecemos vivos, temos que continuar a vida. Continuar a preparação do seu debut no final de semana que vem. Preparar Radio Mãe, você é louca? A minha avó acabou de morrer. E você fica falando nessa porcaria de festa de debutante, mãe? Chega! Eu te odeio. Bebel. Solta. Meu braço esquerdo Radio tá paralisando. Júlia, me traz o meu sublingual. Ai. Bati aqui, droga. Parece que gostou. O quê que tá acontecendo comigo? Eu não tô conseguindo lembrar do rosto da mamãe, Marcos. Eu tenho uma amiga que ela passou pelo mesmo problema. Coitada. Ela teve que botar a foto da mãe na sepultura porque ela não conseguia lembrar a cara da própria mãe. Paola, menos, Paola. Numa hora dessas é bom a gente se manter calado. Bom, daqui a pouco eles tão entregando o corpo da dona Dina, e a gente precisa avisar as pessoas. Ah, eu que pensava em preparar essa casa pra uma festa. Agora vou ter que preparar pra um velório. Não queremos saber de vovós brigando nessa casa, hein. Olha aqui, ó! Vamos comer bombom. Que bombom é esse, hein? Malheido. O quê que é isso? Começou tudo com uma máquina de fazer pão, uma máquina moderna que eles colocam as coisas Radio meu Deus, uma máquina do demônio. Põe farinha, põe fermento, você põe água, e aquilo começa a crescer e ai vai pum, pum, pum Radio Começou a estourar na cara de todo mundo. Estourou na cara da Carol. Ela pegou uma frigideira, pra botar na frente. Eu quero mais bombom. É isso ai, vovó. Cai dentro que o produto é de qualidade. Olha aqui, meu rapaz. Vovó é a que te pariu. Mais bombom, e menos intimidade. Tá batendo uma fome. Perdeu dona geladeira. Perdeu, isso é um assalto. Ai, ai, ai, dona geladeira, faz o que eles estão mandando. Não reage, não reage. Ai, Magrão. Lasanha, malandro. Não, não. Nesta casa, ninguém acende o forno. É? Por quê? Caboclo Tranca-forno disse que não pode. Por que que não pode? Que ignorância, Nonô. Podia ter



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *