Rádio Cultural FM > Rádios ao vivo Online FM Ouvir
  Rádios ao vivo Online FM Ouvir

Menu de rádio
Outro
Bem vindo de volta.
00s 40s 60s 70s 80s 90s Acre Adulta adulto contemporâneo Alagoas Amapá Amazonas Ananindeua Anápolis Araçatuba Araguari Arapiraca Araranguá Automobilismo Bagé Bahia Balneário Camboriú Barbacena Barreiras Barretos Bauru Belém Belo Horizonte Bento Gonalves Betim Blues Blumenau Bom Successo bossa nova brasileiro Campos Dos Goytacazes Canções de amor Canoinhas Católica Ceará christian Classical Comunitárias conversa cristão cristão contemporâneo Cuapiaçu Curitiba dança Dance Distrito Federal eclectic eletrônico Espirito Santo Esportes Flashback Florianópolis folk Fortaleza funk Futebol Goiânia Goiás Goioxim Gospel Governador Valadares Gravatá Guanambi Guarapuava Hits Ilhéus Instrumental Itaguai Itapuranga Jazz Jornalismo Kalore Kpop Manaus Maranhão Maringá Mato Grosso do Sul Minas Gerais MPB notícia Oldies Pará Paraná Pernambuco pop Pop-Rock Popular Popular 1 Popular 2 Popular 3 Popular 4 Porto Alegre Recife reggae Retro Ribeira Rio de Janeiro Rio Grande do Sul Rock rock clássico rock'n'roll romantic romântico Samba Santa Catarina Santos São Paulo sartanejo Sertaneja Sorocaba Telemaco Borba Tiete Top 40 top40 Três Lagoas Vila Velha Web

Rádio Cultural FM

Tipos de rádio: Governador Valadares

  

ADS
Rádio Cultural FM Ouvir Rádios Online Grátis Brasil Qualidade e Transmissão İninterrupta. Radio cuja velhacaria o Rei não pode mais tolerar. E nós, seus leais caçadores, devemos agora conduzir estas raposas para fora da toca. Pai? Não arranjei um barco. O que é? Vão passar uma nova lei no parlamento. Com esta lei, vão aplicar um juramento Radio sobre o casamento. Quais são os fundamentos? -Alta traição. -Mas quais são as palavras? Que importam as palavras? Sabemos o que é. Diz as palavras. Um juramento é feito de palavras. É possível assumi-lo. Assumi-lo? Se puder ser assumido, também deves fazê-lo. Não! Escuta. Deus criou os anjos para revelarem esplendor. Como criou os animais pela inocência e as plantas pela simplicidade. Mas criou o Homem para o servir com devoção, numa mente confusa. Se nos faz sofrer ao ponto de não existir fuga possível, devemos manter-nos firmes o melhor que pudermos. Aí, podemos reclamar-nos campeões, se ainda tivermos saliva. Mas cabe a Deus, não a nós, levar-nos a dar esse passo. O nosso ato natural reside em fugir. Se puder assumir o juramento, fá-lo-ei. Para meu bem, desejava que pudesses fazê-lo. Nunca conduzi um homem à Torre com menos vontade. Obrigado. Isto é perverso. -Para onde desta vez? -Palácio de Richmond. Sentai-vos. Esta é a ª Comissão de inquérito ao caso Radio de Sir Thomas More, criada pelo Conselho de Sua Majestade. Tens algo a declarar? Não. -Já vistes este documento? -Muitas vezes. É a Lei de Sucessão. Eis os nomes daqueles que lhe prestaram juramento. -Como dizeis, já o vi antes. -Prestais-lhe juramento? Não. Temos de saber Radio Temos de saber ao certo se reconheceis os descendentes da Rainha Ana Radio como herdeiros do trono. O Rei no parlamento diz-me que são. -É claro que os reconheço. -Sois capaz de o jurar? -Sim. -Então, porque não presta juramento à lei? Porque há mais coisas na lei. Exato. Está exposto no preâmbulo que o anterior casamento do Rei Radio com Lady Catarina era ilegal Radio pois era viúva do irmão e o Papa não tinha autoridade para o sancionar. É isso que negais? É isso que contestais? É disso que não estais certo? Insultais Sua Majestade e o Conselho na pessoa do Sr. Arcebispo! Não insulto ninguém. Não assumo o juramento. Não vos digo por que não o faço. -Então, deve ser por traição! -Pode ser, não "deve ser". É um pressuposto justo! A lei requer mais que pressupostos, requer fatos. Claro, não posso julgar a vossa posição legal no caso, mas até conhecer a base das vossas objeções Radio só posso adivinhar a vossa posição espiritual. Se desejas adivinhá-la, será irrelevante adivinhar as minhas objeções. Tens então objeções à lei? Isso já sabemos. Não sabes, não. Podes supor que tenho objeções, mas só saberás que não o jurarei Radio pelo que, legalmente, não podes continuar a atacar-me. Mas se tivesses razão em supor que tenho objeções, bem como Radio em supor que as minhas objeções são traição Radio a lei deixaria cortarem-me a cabeça. Sim. Muito bem. Tenho tentado explicar isso a Sua Majestade há algum tempo. Que confusão! Não sou um colegial. Não sei se o casamento foi legal ou não, mas, caramba, olhai para estes nomes. Não podeis fazer como eu fiz, e acompanhar-nos, por camaradagem? E quando morrermos e fordes para o céu por seguirdes a vossa consciência Radio e eu para o inferno por não seguir a minha, acompanhar-me-eis, por camaradagem? Então, aqueles que têm ali o seu nome estão condenados? Não tenho janela para ver a consciência de outro homem. Não condeno ninguém. -Então o assunto é questionável? -Certamente. Mas o vosso dever de obediência ao Rei não é questionável. Então, confrontai uma dúvida com uma certeza e assinai. Há quem pense que a Terra é redonda, há quem pense que é plana. É um assunto questionável. Mas se for plana, as ordens do Rei tornam-na redonda? E se for redonda, as suas ordens aplanam-na? Não, não assinarei. Dais mais valor à vossa própria dúvida do que às ordens do Rei? -Para mim, não tenho dúvida. -De quê? De que não prestarei juramento. Mas a razão por que não o faço, não a sacareis de mim. Posso vir a sacá-la por outros meios. Ameaçais como um rufião das docas. Como devia ameaçar? Como um ministro de estado, com justiça! É com a justiça que sois ameaçado. Então não estou ameaçado. Cavalheiros, posso ir deitar-me? Sim. O preso pode retirar-se como pretende. -A menos que vós Radio -Não vejo motivos para prolongar isto. Então, boa noite. Posso ter mais um ou dois livros? Por quê, tens livros? Sim. Não sabia, não deveria ter. Posso ver a minha família? Não. Capitão! Mestre Secretário? Já ouviu o preso falar do divórcio do Rei, da supremacia Radio -ou do casamento do Rei? -Nem uma palavra. Se o fizer, repetir-mas-á. Claro. Amanhã de manhã, retire os livros ao preso. É necessário? Em relação a este caso, o Rei está a ficar impaciente. -Convosco. -Com todos nós. A impaciência do Rei atingirá um ou dois duques. Sir Redvers Llewellyn demitiu-se. O Procurador Geral de Gales. O seu lugar está vago. Dissestes que podia dirigir-me a vós. Agora não. Tem de submeter-se. Torturem-no. Não. A consciência do Rei não o permitirá. Temos de encontrar outra solução. Pai! Valha-me Deus, puseram-vos aqui? -Não, é uma visita. -Uma visita breve.

Comentários

Nenhuma resenha encontrada

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*

*