Rádio Goitacaz

Rádio Goitacaz, Rádio Goitacaz ao Vivo Online

Add to your site.

Como se fosse uma, uma Radio Uma sem-teto, senhor, uma sem-teto. É isso uma sem-teto. E ainda por cima, agora fica acusando Vossa Excelência. É demais, é demais isso. Demais é ficar ouvindo a sua voz dentro da minha casa. Mais um pio e eu te boto pra fora. Você pode puxar o saco de Sua Excelência, mas respeite o meu marido, viu Seu Marcondes? O quê que tá acontecendo, pai? Alô, oi! Oi Dr. Clóvis. Olha, aconteceu um imprevisto e eu vou me atrasar um pouquinho Radio Alô? Alô? Desligou na minha cara. Eu tive uma idéia. Nós vamos nos separar e procurar por ela. Mas ela quem? Sua avó, sua avó sumiu, Bebel. Bebel, a tia vai deixar com você o meu tesouro. Tudo que ele precisa tá aqui dentro dessa bolsa. Cuida dele direitinho, tá? Pode deixar, eu vou cuidar muito bem do seu bebê, tia. Brigada, meu amor. Brigada. Bilinho. Vem pra cá? A minha mãe saiu. Ah, não. Não vale. Eu não vou desligar. Então, o senhor tem certeza de que não deu entrada aqui uma senhora de uns e poucos anos. Olha. Velho é o que mais tem aqui. Se a senhora quiser entrar pra dar uma olhada Radio pode até escolher. Aqui ela também não está. Esse é o último hospital aqui perto. Licença. Acho melhor a gente ir pra casa e esperar. O que é isso, Cesar? Eu odeio hospital, né, Júlia. Você sabe quantos vírus devem ter nesse lugar esperando um incauto passar por eles? Sabe? Sob controle, senhor. Sob controle. Senador Marcos Vinícius Rocha. Veio se entregar? Por favor, senhor. Senhora, senhora. O negócio é o seguinte, seu delegado. Minha mãe, uma senhora de mais de anos, encontra-se desaparecida. Nós gostaríamos muito do apoio imediato e discreto da polícia. Coitada da minha sogrinha, seu delegado. Olha aqui, Dr. Marcos Vinícius. Nós só podemos considerar uma pessoa desaparecida depois de horas. Tive que esquentar tudo de novo. Bebel, vem almoçar. Nem sinal de mamãe. Então, é entregar a Deus. Ué, o quê que podemos fazer? Uma oração? Notícia ruim chega rápido, gente. Júlia, a sua boca não fala Radio Apedreja. Eu preciso descer, a minha mãe tá me chamando. Pera aí, Bebel. Eu preciso de verdade Radio senão ela vai ter um ataque lá embaixo. Sua mãe não vai ter um ataque. Sua mãe é um ataque. A Júlia se acha fina. Imagina se ela fosse grossa. Eu estou sendo realista. Quando uma senhora dessa idade some, o quê que pode ter acontecido? Mas eu me recuso a pensar no pior. Eu não sei o quê que eu tô fazendo aqui nessa casa, eu tenho horror a essa Júlia. Que é isso? Pupi, Pupi, o meu MC legítimo. Sua cachorra. Telefone agora, não. Alô! Oi, Dr. Clóvis. Sai daqui. Vai pra lá. Oi Dr. Clóvis. Alô? Para de gritar! Alô? É do IML Radio Eles pediram pra vocês irem até lá. É sobre a vovó. Vocês liguem assim que tiverem notícias. Cesar, tem certeza que não quer vir com a gente? É a tua mãe. Nós não sabemos se é a mamãe ainda. Fora isso. Eu já estive no hospital. Já fui exposto a muitas bactérias. Tá bom, então fica bem. A gente dá notícias. Beijo, amor. Então vamos logo. Ela fica com ele. A Paola é do time do Cesar mesmo. Capaz de dar trabalho no IML. Tchau, amor. Vamos. Excelência. Ai meu Deus. Que horror. E a cara dela? Excelência, Excelência. Mas Radio o quê que aconteceu com a mamãe? Atropelamento. Caminhão. Só sobrou isso ai. Será que é ela mesmo? Excelência? É ela. É ela sim. Tenho certeza, olha aqui. Olha aqui. Por que eu deixei isso acontecer? Você vai contar com filho, Dina? Não viu o que o Cassiano fez comigo? Casou, teve o Bilinho, enjoou da mulher Radio Hu-hum. Foi embora, e ainda deixou o menino pra eu acabar de criar. É bonito isso? Sabe, Nonô, sobre o seu filho, Cassiano, eu prefiro ficar calada. Mais tarde a gente conversa sobre esse assunto. Por quê, Dina? Você sabe alguma coisa que eu não sei? Sei. O quê que você sabe? Sei o quanto somos bobas e iludidas, Eleonor. Por que você tá dizendo isso, Dina? Mas você precisa me dizer. Eu vou me embora, sabe. Eu quero saber, Dina Eu preciso encarar aqueles meninos. Passa, passa, passa o relógio. Para aí. Parou, parou, parou. Vai, vai, vai, vai. O quê que tem nessas caixas, hein Curió? Sei lá, Magrão. Mas acho que a gente se deu bem, Compadre. Aí, vamos se malocar naquela casa ali. Não deve ter ninguém. Eu sei. Com licença, senhoritas. A gente tá fazendo uma pesquisa de um produto que tá sendo lançado no mercado. Eu não estou interessada. Mas espera aí, qual é o produto? É esse aqui vovó. Pra dentro, pra dentro, passa. O que é isso? Passa. Por que é que você foi falar? Pra direita ai, pra direita. Pra onde? Senta aí, senta aí. E agora, Curió? Vamos fazer o que com essas velhas? A polícia tá na área. Cala a boca, Magrão. Cala a boca. Tô pensando. O marginal está pensando. Levanta, vamos embora. Levanta, vamos embora. Onde é que é o banheiro aqui? O banheiro é lá em cima. Segue, vamos. Ai, eu tô tão preocupada com a vovó, Bilinho. Será que é ela mesmo que encontraram? Pra mim ela tá aprontando alguma. Socorro, abre a porta. Abre essa porta. Ai amiga, esses larápios estão acabando com a minha casa. Nós temos que sair daqui já. Antes que eles achem o meu esconderijo. Mas não se preocupe. Ninguém vai buscar nada debaixo do seu colchão. Colchão?



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *