Rádio Cidade JAHU 87,9 FM > Rádios ao vivo Online FM Ouvir
  Rádios ao vivo Online FM Ouvir

Menu de rádio
Outro
Bem vindo de volta.
00s 40s 60s 70s 80s 90s Acre Adulta adulto contemporâneo Alagoas Amapá Amazonas Ananindeua Anápolis Araçatuba Araguari Arapiraca Araranguá Automobilismo Bagé Bahia Balneário Camboriú Barbacena Barreiras Barretos Bauru Belém Belo Horizonte Bento Gonalves Betim Blues Blumenau Bom Successo bossa nova brasileiro Campos Dos Goytacazes Canções de amor Canoinhas Católica Ceará christian Classical Comunitárias conversa cristão cristão contemporâneo Cuapiaçu Curitiba dança Dance Distrito Federal eclectic eletrônico Espirito Santo Esportes Flashback Florianópolis folk Fortaleza funk Futebol Goiânia Goiás Goioxim Gospel Governador Valadares Gravatá Guanambi Guarapuava Hits Ilhéus Instrumental Itaguai Itapuranga Jazz Jornalismo Kalore Kpop Manaus Maranhão Maringá Mato Grosso do Sul Minas Gerais MPB notícia Oldies Pará Paraná Pernambuco pop Pop-Rock Popular Popular 1 Popular 2 Popular 3 Popular 4 Porto Alegre Recife reggae Retro Ribeira Rio de Janeiro Rio Grande do Sul Rock rock clássico rock'n'roll romantic romântico Samba Santa Catarina Santos São Paulo sartanejo Sertaneja Sorocaba Telemaco Borba Tiete Top 40 top40 Três Lagoas Vila Velha Web

Rádio Cidade JAHU 87,9 FM

Tipos de rádio: Bauru

  

ADS
Rádio Cidade JAHU 87,9 FM Ouvir Rádios Online Grátis Brasil Qualidade e Transmissão İninterrupta. Quero ir contigo à serra ou onde for. Anda, me dá o cinto. Não quero ser um problema. Uma mulher casada tem que estar junto de seu marido. María, pensei esses dias em tudo. Tenho que fazer muitas coisas que me vieram à mente. Você irá com sua tia Rosario a uma aldeia onde esteja segura. E eu irei te ver sempre que puder. Ei, você, Niceto! O que você quer? Sou amigo de Paco Morales. Ele me disse que você e eu poderíamos entender-me contigo. E o que quer? Todos os dias que vier diligência, nos mandará um homem. Em caso de que venha escoltada, o homem usará chapéu. E, em caso contrário, a cabeça descoberta. Irá no caminho das serras para a montanha de Las Jaras. Ali estará duas horas certas, ao pé do monte. Meus homens guardarão dia e noite os caminhos. Quero que cada diligência pague religiosamente seu direito de passar por minhas terras. Daqui a duas semanas, meus homens começarão a cobrar a cada carruagem o combinado. E nada mais, senhores. Ponham isso ao conhecimento da Real Companhia de Diligências e de todo o mundo. E desculpem por tê-los feito levantar a essas horas. Podem ir-se. Ah, um momento. E advirtam vocês à autoridade que José María não gosta de matar ninguém. Estamos combinados? Sim, senhor. E você? Sim, senhor. Tudo bem. Anda, para casa. As diligências e os correios pagam para atravessar minhas terras. Os moinhos e as fazendas pagarão também, para que lhes protejamos. Vão atirar em cima de você toda a força policial da Andaluzia. Por isso estou falando contigo. Se você fizer o mesmo que eu em outro lugar, a muitas léguas daqui, as forças policiais terão que se dividir. Você seguramente terá pensado qual é a região que mais te convêm. Veja, El Lero, eu te estou agradecido. Você se portou bem comigo. Se aceita, dominaremos estas terras sem arriscar nada. E tiraremos muito mais proveito. Andaluzia inteira será para nós. Estou cansado, José María. Não digo que não tenha razão. A única coisa que quero é viver tranquilo. Retirar-me e comprar uma fazenda perto de Granada. Isso não é para mim. Eu posso fazê-lo por conta própria. Se te ofereço é porque sei que posso confiar em você. Pense. Já o tenho bem pensado. Seguirei como até agora. Sinto não chegar a um acordo contigo. Bom, não temos mais nada para falar. Estou indo. Pense, homem. Pense. Discuta com teus homens. É melhor para eles. Veja, deixe para mim as províncias de Córdoba, Málaga e Sevilla. E para mim o resto da Andaluzia? Aldeias miseráveis, caminhos de mendigos? Não, estou bem como estou. Deixemos isso. Tudo bem, deixemos. Não posso aceitar. Mas, El Lero, o que quer? Toda a província de Málaga, um quarto do que você coletar da Real Companhia de Diligências e o direito de proteger as fazendas e moinhos da parte norte de Sevilla. Agora! Ôpa! Os papéis? Perdoe-me, padre, mas é minha obrigação. Está cumprindo com seu dever. E me diga, se é tão amável, a que se deve essa vigilância? Um liberal escapou da "cuerda de presos". Um homem perigoso, ao que parece. Já vocês darão com ele. À lei não se burla tão facilmente. Fique com Deus, filho. Burra. Padre, o que quer?

Comentários

Nenhuma resenha encontrada

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*

*