Radio Piata 94.3 FM

Radio Piata 94.3 FM, Radio Piata 94.3 FM ao Vivo Online

E se te preocupa, então é melhor que resolva esse problema com seu filho. Maldita seja! Sem tampas. Sem tampas, estes potes não servem para nada. As tampas estão no porão. E desta vez, não ouse me dizer para voltar depois. Saia da minha casa! Estou te avisando, Sra. Hallet. Saia da minha casa! Sra. Hallet, eu estou te avisando! Oi. Dirigindo muito? Como você pode estar nesse carro? Como você pode estar vestido assim? Porque eu sou um mágico. E o que é isso, sua varinha mágica? Ah, é minha bengala. Sou um aleijado. Acho que eu deveria dizer que sinto muito. Por quê? Não é culpa sua. Aos sábados, quando todos os meus irmãos estão jogando futebol radio eu estou dando shows de mágica radio em festas de aniversário de algum garoto rico. Vamos ver você fazendo alguma mágica. Diga, você não é muito jovem para dirigir? Bem, era para o meu vizinho levá-lo. Meu pai está contando com o carro na estação para esperá-lo. Acha que pode levá-lo? Posso te pagar. Diga, você sabia que tem um dente quebrado? Como eu nunca te vi na escola? Eu não frequento a escola. Você é doente ou algo assim? Não, a escola anula a personalidade. Você disse que esse carro é do seu pai? Não, não. O que eu disse foi que meu pai precisa dele na estação. É dela. De quem? Da velha senhora Hallet. É uma beleza. Apenas mil quilômetros rodados. Eu sei. Meu pai tem uma oficina. É ele quem conserta o carro. Ela está nos emprestando. De jeito nenhum. Está deixando com meu pai. Ela não deixa nem aquele seu filho nojento dirigí-lo. Aqui está $. Estou atrasado para o meu número. Você vai voltar depois? Por favor? Olhe, eu preciso da sua ajuda. Talvez depois do meu número. Você promete? Mãe, o novo número de mágica foi um estouro. Ainda estou aqui na festa de aniversário. Não, mãe, eles me convidaram. Me convidaram pra jantar também. Só hambúrguer e coca-cola. Qual é, diga ao Tom para levá-la ao filme, para variar. De qualquer forma, é a vez dele. Olhe, falo com você depois, tá? Até mais. Sim, sim, tudo bem. Certo, certo, tudo bem. Tchau. Você não tem irmãos ou irmãs, tem? Não. É algo que não posso nem imaginar. Ei, acenda as velas, sim? Sim, claro. Que vestido bonito. Obrigada. O meu pai e eu o compramos no Marrocos. Eles fumam muito haxixe por lá. Eles fazem muitas coisas por lá. Você já fumou haxixe? Várias vezes. Sério? Sem brincadeira? Sim. Você é uma “quase hippie”? Não, na verdade, não. Vá em frente, sente-se. Quer um pouco de vinho? Você quer? Não, eu detesto vinho. Eu também. Você é uma ótima cozinheira. Isso é tão surpreendente? Disse isso por você ter só anos e tal. Quantos anos precisamos ter para que comecem a tratar-nos como gente? Ei, Mario. Sim? Obrigada pelo carro e tudo mais. Sabe, você pode ser esperta, mas é boba. Digo, se você quisesse mesmo tirar o carro da frente da casa radio por que toda aquela confusão sobre levá-lo até a estação? Veja, o truque na mágica radio é fazer algo tão simples e óbvio radio que ninguém percebe. Viu só? O que é mais simples que pôr o carro no lugar de onde ele veio? Alguém te viu levando até o escritório dela? Meu Deus! Você acha que quero ir em cana radio por roubar o bem mais precioso da velha Sra. Hallet? Sabe, você nem confia em mim o bastante para me contar por que fiz isso. Você fez isso para me ajudar. Você fechou as portas do carro? Você devia tê-las posto na caixa de correio do escritório dela. Não, não devia. Deixe-me te dizer. Estou lá, sentado no seu Bentley, no escuro, certo radio em frente ao seu maldito escritório, tentando fazer com que ninguém me veja radio e me pergunte o que estou fazendo. Tenho que ser cauteloso, certo? Agora, posso não saber por que a Sra. Hallet não levou seu carro de volta radio mas uma coisa eu sei: Por que a Sra. Hallet poria suas próprias chaves radio na caixa de correio do seu próprio escritório? Não poria. Ela guardaria as chaves. Estariam onde quer que ela esteja. Acho que quero um pouco de vinho. Isso sim é muito chique. Sem cobertura de papel metálico. Tem uma rolha e tudo mais. Isso é muito elegante. Você ainda não me disse por quê. Como se explica ela não ter voltado no carro? Então, por que se importa? Arrisquei minha carcaça por você. Você não era obrigado. Olhe, é melhor você me dizer que diabos está acontecendo radio porque se eu tivesse deixado aquele carro na estação como você me disse radio todos no povoado iriam reconhecê-lo. Você não confia em ninguém, não é? Quer outra costeleta de carneiro? Não guardamos um pouco para o seu pai? Ele vai dormir fora, em Nova York. Ei, você nunca disse isso. Você já ficou sozinha antes? Claro, centenas de vezes. Como todas as vezes em que fumou haxixe? Você não tem medo? De quê? De ficar sozinha. Não. Sabe, na semana passada eu vi na TV uma velha radio que foi estrangulada com uma meia-calça. Quero dizer, isso pode acontecer. Sabia que tem uma lâmpada lá fora? Deixe ela sempre acesa, certo? Obrigada. Sabe, comigo, você tem uma luz interior. Isso é genial. Bem, Sr. Showbiz, esse sou eu. Você precisa de mais de uma platéia. Gostaria que conhecesse Gordon. Gordon. Não é uma gracinha? Oi, Gordon. Sai para lá. Você não confia em mim nem com o seu rato. É um hamster. Parece um rato. Você que parece. Não. Venha cá. Você tem algum bichinho? Não, só meus pais, a quem dou banho e alimento regularmente. Ótimo. Acho que temos que levar Gordon de volta à sua gaiola. Farei um trato com você. Você me conta sobre o carro, e eu te conto por que sou aleijado. Não. Vacina contra a pólio. Eu tenho tantos irmãos e irmãs radio que a minha mãe se esqueceu de quem tinha tomado e quem não. Certo, agora quero saber sobre o carro. Tudinho. Temos sorvete de pêssego. Quer um pouco? Não. O carro. O carro dela? Você deixou alguma impressão digital? Rápido! Nada de impressões digitais. Você é tão mágico, vamos ver você fazer um truque. Certo. Espere só um pouco. Eu quero um truque! Espera só um pouco. Tá legal. Senhoras e senhores, farei agora um automóvel desaparecer. Você já fez isso. Bem, então, afaste-se, eu desaparecerei. Agora, feche os seus olhos e não os abra. Certo, está pronta? Não olhe. Não olhe, Gordon. Vamos lá. Um, dois, três. Pronto ou não, aqui vou eu. Mario?



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *