Radio Difusora AM 960

Radio Difusora AM 960, Radio Difusora AM 960 ao Vivo Online

Assim não terá que carregar muita coisa. Para onde vamos? Onde? Aonde “eu” vou, amigo! Por ali. quilômetros de uma bela areia escaldante. Até o Exército tem receio de passar por ali. Os homens do Sibley estão recuando. Os homens do Canby estão vindo pra cá. Mas ninguém põe os pés neste inferno, exceto você e eu. quilômetros. É um belo passeio! O que foi que me disse da última vez? Se você se poupar, creio que seja homem para aguentar. E se não aguentar, morrerá. Só que devagar. Muito devagar, velho amigo! Depois de você, por favor. Começe a andar. Está descansando? Anda, loirinho, não falta muito para chegar. São só quilômetros. Só horas e meia antes do por do Sol. Não é tão ruim. Vamos! Ok, vamos comer! Quer dizer, eu vou comer. Você fica aí tomando um banho de Sol. Quer água? Bebida, bebida! Vamos lá, vamos lá! Bem, loirinho, caminhe mais um pouco. Então, loirinho, é adeus. Calma! Isso, garoto! Água… mil em ouro, é seu. Apenas me traga água. Que foi que disse? Quem é você? Carson. Meu nome é Bill Carson, agora. Um ataque surpresa. Estão todos mortos, e eu me chamo Jackson, não Carson. Prazer em conhecê-lo, Carson, eu sou o avô de Lincoln. O que disse sobre os dólares? mil dólares, todos meu. Foi a ª Cavalaria. Baker não tem nada. O ouro, eu escondi o ouro. O ouro está a salvo. Onde? Aqui? Fale! O cemitério. Que cemitério? Aquele em Sad Hill. Há uma cova junto… Que cova? Tem um nome? Tem um número? Vamos, seu safado, fale! Não tem número. Tem um nome… Está escrito… Água… Fale primeiro, depois eu dou água. Cemitério de Sad Hill, ok! Na cova, ok! Mas deve ter um nome ou um número, lá existem mil, mil. Não morra, hã? Não morra! Vou buscar água. Fique aí, não se mova. Vou buscar água. Não morra até eu voltar, seu filho duma… Afaste-se daí. Ele está morto. Eu mato você. Se fizer isso, será pobre para sempre. Tal como o rato seboso que você é. Se eu fosse você me manteria vivo. O que ele disse? Um nome. O nome de uma cova. Que nome? Loirinho, não morra, loirinho, não morra. Sou seu amigo, por favor, não morra. Vamos lá, cara, vamos. Loirinho, eu o ajudo. Não se mexa, eu já volto. Vou pegar a água. Não morra como aquele nojento. Água, loirinho. Não beba, não é bom pra você! Loirinho, o que foi? Por favor, não morra. Abram, abram depressa. Calma, quem está aí? Quem você acha que é? Acha que sou o inimigo? Se eu fosse um ianque, você não teria tempo pra me fazer perguntas. Sargento, olhe este cabo um instante. Sargento, tenho um homem ferido, ou talvez já esteja morto. Ele ainda está vivo? Parece que sim. O que houve? Uma emboscada, só nós escapamos. Nome e documentos de viagem. Cabo Bill Carson. º Regimento, º Esquadrão. Vindos de San Rafael, é o suficiente? Se ocupa lendo enquanto o homem morre? Vamos nos retirar e você precisa de uma enfermaria. Se quiser uma, terá que se tornar prisioneiro dos ianques. Onde estamos? Perto de Apache Canyon. Apache Canyon? A missão San Antonio fica perto daqui? quilômetros ao Sul, leve-o lá. Os irmãos não se importam com a cor do uniforme. E vá de olhos abertos, esta zona está cheia de ianques. Obrigado! Adeus, sargento. Tenho um homem doente aqui. Não temos mais camas. Ele ficará com a sua. Onde está Pablo Ramirez? Ele não está neste momento. Ele já deve estar chegando. Não faz mal, por hora, trate muito bem do meu amigo. E que Deus seja louvado! Deus está do nosso lado porque ele também odeia os ianques, não é, loirinho? Padre, ele ainda respira? Sim, é claro. Ponha uma atadura nova nele. Vamos colocá-lo na minha cela. Com cuidado. Saia, soldado. Cuidado com ele, por favor, ele é como um irmão pra mim. Padre. Padre, ele falou? Padre, ele falou sobre algo? Não, ele ainda não falou. Mas não se preocupe, ele é jovem e forte. Foi o que o manteve vivo. Ele vai se recuperar dentro de pouco tempo. Obrigado, não sabe o que a vida dele significa pra mim. Loirinho? O velho padre diz que dentro de alguns dias estará de pé. Teve sorte por eu estar tão perto quando isso aconteceu. Imagine se estivesse sozinho. Isto é, quando estamos doentes, é bom termos amigos por perto. Amigos ou parentes. Você… Você tem pais, loirinho? Uma mãe? Nem sequer uma mãe. Ninguém? Está completamente só, como eu. Estamos sozinhos no mundo. Eu tenho você, você tem a mim. Só um pouquinho. Tinha que acontecer agora. Que jogo sujo do destino. Podíamos ter todo aquele dinheiro em nossas mãos. Tenho que lhe contar a verdade, loirinho. No meu lugar, você faria a mesma coisa. Agora está tudo acabado pra você. Agora ninguém pode fazer mais nada. Por favor, me perdoe. A culpa é minha. Eu digo uma coisa, loirinho, se soubesse que a minha hora tinha chegado, no meu lugar… no seu lugar, eu faria a mesma coisa. Eu falaria do ouro. Sim, falaria. Diria o nome da cova. Pra que serve o dinheiro se morrer? Sei o nome do cemitério. Mas sabe quantas covas existem lá? Por favor, beba um pouco. Tome um cafezinho. Por favor, diga o nome. O nome da cova. Se colocar as mãos nos mil dólares, honrarei para sempre a sua memória. Juro! Honrarei sempre sua memória. Chegue mais perto. Me diga. Seu nojento safado. Dormirei melhor, sabendo que um amigo está do meu lado para me proteger.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *